Aprender com Fracasso ou Sucesso?

Eis que eu estava garimpando algum aprendizado na internet e encontro um vídeo do Mr. Bogusky dizendo que ele não gosta de aprender com o Fracasso, ele prefere aprender com o Sucesso.

Achei muito bacana, mas antes de sair Twittando com link para #fb e #in, comecei a pensar o que realmente define um aprendizado, o que nos ajuda a evoluir, muda comportamento e adiciona conhecimentos e competências no nosso currículo. E percebi que uma parte representativa dos meus fracassos me ajudaram, sim, a evoluir e foram uma bela forma de aprendizado. E nas vezes que tive algum sucesso, encontrei diversos fatores que levo pra minha vida até hoje, fatores esses de grande aprendizado também.

Mas o que me chamou mais atenção foi que a busca por aprendizados provenientes de situações de sucesso foram mais difíceis de serem lembrados. Se foram em maior ou menor volume não vem ao caso, a questão que quero levantar é que não refletimos muito sobre nosso sucesso como refletimos sobre nosso fracasso. E acho que esse é o ponto determinante, o aprendizado vem com a reflexão.

Por quê a decada de 60 foi o ápice cultural brasileiro se tinha ditadura? Porque tínhamos que fazer de uma forma nova para ter sucesso, se não fracassaríamos. A seleção natural não defende que os mais adaptados são os que permanecerão, ou seja, os mais aptos ao aprendizado. Eu não estou defendendo uma forma de aprendizado ou outra, defendo que o fracasso nos estimula a refletir, ele é um indutor natural para isso pois coloca em jogo a nossa existência.

Ou seja, independente da fonte, acho que o importante é refletirmos, principalmente em tempos conservadores, otimistas e confortáveis que vivemos hoje. Ou seja, se o Mr. Bogusky não consegue viver sem o seu sucesso, então ele está mais que certo na sua forma de aprendizado.

Bauducco gotas de chocolate #fail

Desde que eu me lembro como um degustador de cafés da manhã a minha família tem costume de comprar aqueles bolos prontos que vem em embalagem industriais e que, geralmente, estão na seção de bolachas e salgadinhos enquanto deveriam estar na de pães. Ultimamente não tenho comido pois são muito secos, logo, ou eu tenho que colocá-lo na boca e dar um gole de café junto, formando um consistência tipo ambrosia da Vó Maria, ou colocar um monte de geléia em cima, sujando demasiadamente boca, dedos e mesa para um café de 10 min em uma dia de semana.

ambrosia

E é por isso que vim expressar minha indignação contra os bolos secos em especial da Bauducco. Tirei fotos estilo oquepago/oquerecebo:

DSC06815

DSC06817

DSC06818

Não, Bauducco! O bolo de vocês não tinha gostas de chocolate e o pote de geléia (também da Vó Maria) está ao lado da foto para comprovar isso. Tentei encontrar o SAC pelo site, mas ele estava fora do ar e a empresa ficava tentando, insistentemente, contar a história da sua marca enquanto eu só queria tomar meu café da manhã. A propósito, sou um degustador de cafés da manhã mesmo que por 10 min em uma dia de semana.