Exercício estratégico em São Paulo I

São Paulo é uma miscelânia de sorobô. Uma mistura rica, pobre e quente. Ela é a farofa do Brazil Brasil.

A criatividade flui nas relações comerciais, que podem nos fazer rir ou ficar indignados por sermos brasileiros. Eis que no meu primeiro dia, fui pegar o ônibus na Marginal, com a parada lotada e com meu notebook 17″ mais HD seagate 20cm X 10cm e cabos. Dentro do ônibus é como revezamento, sai uma pessoa, dá-se um passo. Quando chega meu momento de passar na roleta dou R$4,00 para uma passagem de R$2,70 e escuto. – Não tem troco, espera aí… Olho pra trás pra voltar…

Quando aviso que a minha parada é a próxima, ela me dá o troco e deixa eu passar. Sendo que ninguém deu dinheiro, todos usam um cartão facilmente comprado em qualquer lotérica onde você coloca crédito.

Em São Paulo os que esperam são as pessoas de fora, os turistas, gringos que são assaltados pelo olhares dos manos, na melhor das hipóteses. Então, qualquer coisa que fores fazer, não espere! Tente se informar antes sobre o melhor método. Mas se fores pego de surpresa, chega entrando, saindo, descendo ou apertando, é preferível descer na parada errada com confiança do que descer desconfiado com a pessoa errada.

Chamem de análise, reflexão, desabafo… mas não chamem de retrospectiva!

Este blog mudou muito no decorrer do ano. Genericamente, ele partiu de uma análise técnica e objetiva da comunicação, para um âmbito mais amplo, que desde o início era o propósito do blog: exercitar o pensamento estratégico através de representações de marca.

Retrospectiva é muito brega, então resolvi chamar de cronologia de conteúdo, representado pelos 5 posts mais lidos e comentados de 2009.

RT @spiritosanto

O Fado da Oi

Diploma de jornalismo

Vende-se twitter no mercado livre

Coca-Cola Parc

Sempre tentei levar o blog de maneira imparcial mas, deixando a hipocrisia em 2009, isso é impossível. Quando o autor muda, o blog tem que mudar e acompanhar o ritmo de quem o escreve e, manos, eu mudei e me mudei!

Estou indo para São Paulo tentar a vida na profissão de Planejador O-que-quer-que-seja. Eu ainda não sei qual será o enfoque do blog, não sei o quanto eu vou mudar quando realmente me estabelecer por lá, mas definitivamente eu não vou deixar de escrever nesse átomo de nuvem da web. Repito! Isso não é uma retrospectiva (coisa brega!). Mas vou atribuir sentidos ao meu sentimento por esse CaféFerrolho falando os motivos do por quê não parar ou por quê começar um blog:

Disciplina: O blog nos chicoteia, faz a gente acordar mais cedo e dormir mais tarde, delícia!

Reflexão: Nada de reflexos, em tempos de excesso de informação, o blog nos ajuda a parar, respirar e pensar profundamente sobre um único assunto.

Pesquisa: Que bom que informação não cai de mão beijada, acabei descobrindo muitas coisas novas quando fui atrás de informações para enriquecer os posts.

Enfoque: Ajuda a desapegar de certos assuntos (o que ainda é frustrante). Mas, em compensação, nos posicionamos como profissional, o que é um orgulho!

Um excelente 2010!