RT @SptSntSptSnt

 

 

A expansão da Spirito Santo é um reflexo do belo trabalho de marca que eles vem apresentando, tanto como comunicação quanto como oportundiade de mercado, sendo essa oportunidade o grande diferencial que, óbvio, vou deixar para o final, caso se interesse apenas por ele, pule para o parágrafo com #.

@ Existem duas coisas muito bacanas que associo à comunicação da SPT SNT. A primeira é a evangelização, os modelos da loja geralmente são pessoas que conhecemos de Porto Alegre, músicos, designers, publicitários que convivem no nosso meio, nos influenciam e advogam pela marca, geram transparência e autenticidade em épocas que entregar um jogo de futebol é algo aceitável. O outro ponto sobre a comunicação é a experiência, desde o ponto-de-venda muito bem ambientado, com música e atendentes elegantemente desleixados, até ações como o execelente pocket show dentro do shopping Moinhos para o lançamento da nova loja. Quem viu provavelmente assistiu, ou seja, experimentou um pouco mais que um lançamento convencional:.

# A oportunidade de mercado está no produto, que não deixa de ser comunicação; na minha opinião, a Spirito Santo está navegando em um oceano azul entre o formalismo de uma alfaiataria mais refinada, como Brooksfield, Richards, Hugo Concept e Riccardi até uma estampa mais descolada, com cores fechadas mas bem diversificadas, algumas peças lembrando a moderna moda surfe, melhor exemplo: Hurley,  paradoxalmente urbana devido aos outros esportes incorporados à marca e porque, afinal, biquira é periférico não compra roupa boa!

Outro ponto muito importante: público. Existia uma necessidade desses musicos, designers, publicitários de se vestirem de forma mais elegante e com preços acessíveis, existia uma necessidade dos elegantes metro, uber e gastrosexuais de darem um toque de despojo no seu visual e, por último e principal, os homos que são disparados os mais elegantes de todos e tem uma visão mais refinada sobre moda.

Acredito que essa marca tem grande potencial para crescer, principalmente com lojas conceituais pelos grandes centros de moda e consumo, e a internet é perfeita para que esse trabalho de marca – evangelização e experiência – seja bem feito também em outras praças. Caso você não saiba o porquê de evangelização e experiência, leia o parágrafo @.

Advertisements

Post medíocre

Já que hoje é um dia medíocre, vou escrever um post medíocre. E eu adianto que não tenho vergonha de escrever “such a thing” pois elas geralmente são endereçadas para mim.

Não é um baita trabalho de marca, seu conteúdo nem é tão bom mas ele preenche um momento muito importante da minha semana e a experiência é sempre recompensadora, ele entrega o que promete. Então, assumo: eu adoro ler o jornal Cine Semana enquanto espero a comida no Shopping Moinhos #prontofalei.

CineSemana

Com certeza isso tem prazo de validade e o principal vilão será o próprio shopping. Como muitos, eu tenho um smartphone e pago uma banana pelo consumo de dados (internet). Por outro lado, acredito que os espaços públicos com wi-fi aparecerão mais rápidos do que o barateamento dos pacotes de dados, por isso acho que o shopping matará o jornal. Ou será que não.

Marca.

Uma marca está sendo revitalizada em Porto Alegre! A empresa Signasul está refazendo gratuitamente a pintura das primeiras “borboletas pela vida”  e de mais 50 borboletas espalhadas pela cidade.

Imagem3

A borboleta da Fundação Thiago Gonzaga é um símbolo de cuidado com a direção e as pessoas. Ela está presente no imaginário dos motoristas e transeuntes, tornou-se tão reconhecida quanto os sinais de trânsito e fico muito feliz que as borboletas de stencil não sejam apagadas pelo tempo.

untitled

Clientes deste perfil são muito bacanas de trabalhar, existe uma liberdade criativa de formatos e mensagens, ações combate não são contra concorrentes, mas contra uma causa mais importante e muito mais verdadeira. O Vida Urgente não vive só de borboletas, ele tem um histórico legal de peças criativas que merecem crédito, como esse em que o cidadão abraça o poste, não lembro de quem é.

Em minha defesa sobre o esquecimento, eu tomei todas ontem e não dirigi!